sábado, 25 de maio de 2019
Gastronomia

Como é ser nutricionista na maternidade

Sou Nutricionista há 22 anos. Pós-graduada em Materno-Infantil há 17 anos. Nesses anos, tive muitos desafios profissionais. Mas agora quero falar sobre os meus maiores desafios: ser mãe da Luísa e do Luca, hoje com 14 anos e 9 anos. E, ao mesmo tempo, mãe-nutricionista. Luísa veio para me provar que toda minha bagagem técnico-científica em muitas vezes (melhor dizer, na maior parte das vezes) não se aplica à diária tarefa de moldar os bons hábitos alimentares. Até 1 ano e meio, amamentação e introdução de novos alimentos, focando a alimentação saudável, foi muito fácil. Mas não foi assim depois! Vieram inúmeros desafios! No início, eu acreditava que seria perfeitamente tranquilo aplicar a teoria na prática. Mas o que eu ignorava era o fato de que comer é uma soma de preferências, sensações, emoções, sabores, sentimentos. São descobertas de texturas e significados. É a convivência com outras crianças, com outros hábitos, na escola e em outros ambientes.  E, com toda bagagem, este desafio me transformou em formuladora de estratégias na tentativa de fazê-la comer de forma saudável. Quando o Luca chegou, cerca de 5 anos depois, já menos ignorante na prática, segui bem melhor na saga da construção dos hábitos alimentares que considero saudáveis. Minha mãe teve problemas para me ajudar a aceitar uma variedade de alimentos. E sempre com paciência e firmeza, aos 7 anos eu já comia sem qualquer restrição a vegetais, frutas e outros alimentos. Minha mãe, sem formação em Nutrição (ela se formou em Professora), era sábia para entender que a educação se faz diariamente e celebrando cada pequena conquista. Quero aqui provocar algumas reflexões: o que nós, mães e pais, podemos fazer para formar futuros adultos mais conscientes de suas escolhas alimentares? Qual o nosso papel diante a prevenção das doenças crônicas associadas à obesidade?

O novo transtorno alimentar: o medo de consumir carboidrato!

É tanta informação desinformada, que é rotineiro ouvir pessoas falando: "Pão na dieta? Mas pão não engorda?" "Ah, se eu comer esse arroz no jantar eu não vou emagrecer!" "Macarrão tem muito carboidrato, já cortei do cardápio". E, muitas outras condenações aos coitadinhos dos alimentos fontes da carboidratos. Eu sinto até dor no coração! Vou, então, citar aqui as razões para minha tristeza! 1º- Carboidrato é um macronutriente, assim como a proteína e a gordura. E deve fazer parte do cardápio, simplesmente pelo fato de que é a nossa principal fonte de energia. 2º - Eles regulam o funcionamento do corpo, economizando as proteínas, impedindo que estas sejam utilizadas na produção da energia que precisamos. Ou seja, contribuem para o aumento da massa muscular. 3º - Se ingerimos baixa quantidade de carboidrato, de forma a usar a gordura para suprir a necessidade de glicose (energia), aumentamos a oxidação, gerando quantidade excessiva de substâncias (cetonas) que, em excesso, são tóxicas para o corpo. 4º - O cérebro funciona com glicose, mas não consegue armazená-la. Portanto, há necessidade de suprir este abastecimento através a corrente sanguínea. 5º - A celulose e as fibras estão presentes nas fontes de carboidratos e auxiliam no melhor funcionamento do intestino. Entre outras funções fundamentais para um corpo saudável! E, aí? Você ainda acredita que tem que retirar o pobrezinho do carboidrato da dieta?

Lista de ingredientes: como entender se o produto é mesmo saudável?

Você tem o hábito de ler a lista de ingredientes dos produtos que você consome? Tem ideia do que seja pelo menos metade dos ingredientes listados? Se sua resposta é não, vem comigo que vou te dar algumas dicas essenciais para te ajudar a acertar nas escolhas e não seguir a propaganda que o fabricante destaca logo na frente do rótulo. As embalagens sempre informam os ingredientes em ordem decrescente, começando pelos que estão em maior quantidade, por uma determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que regula a rotulagem de alimentos no Brasil. Portanto, se na lista de ingredientes o açúcar refinado está entre os primeiros listados é melhor evitar este produto. Lembrando que o açúcar pode aparecer com diferentes nomes, como xarope de milho, maltodextrina, açúcar invertido, etc. Alguns produtos considerados saudáveis são cheios dessas substâncias. às vezes, a versão tradicional de um alimento é melhor opção do que a versão light. Se a lista de ingredientes é longa, a chance de o alimento ter aromatizantes, corantes e conservantes é grande. E, essas substâncias são usadas para melhorar o sabor e aumentar o tempo que o produto pode ficar nas prateleiras. Só que, podem afetar a saúde negativamente de várias formas e devem ser evitadas. Produtos cujos ingredientes contenham palavras que você não reconhece como um alimento, como glutamato monossódico, benzoato de sódio, BHA, INS 120 e inosinato dissódico devem ser evitados, também. Outro grande perigo presente nos produtos industrializados é a gordura vegetal ou gordura vegetal hidrogenada. Elas não são reconhecidas pelo nosso corpo e são responsáveis por sérias alteações no nosso metabolismo de gordura. Por mais que a embalagem informe que o produto é "livre de gorduras trans", ele pode ter sim. Prefira os produtos que use os óleos vegetais na composição. E, agora? Como…

O que você ganha ao tomar refrigerantes?

Se você ainda acha que ganha alguma coisa... sinto muito te dizer: não ganha nada! Muito pelo contrário, o refrigerante faz você perder vitaminas e minerais da sua alimentação, podendo te levar a sérias deficiências. Posso listar aqui inúmeras desvantagens: 👉 É viciante, devido a presença de cafeína; 👉 Aumenta as taxas de glicose e triglicerídeos no sangue; 👉Tem um ingrediente bem perigoso chamado ácido fosfórico, que reduz a absorção do cálcio, comprometendo a saúde de dentes e ossos; 👉 São lotados de aditivos químicos: corantes, conservantes, acidulantes, sódio, contribuindo para a redução do cálcio e do magnésio e facilitando a formação das reservas de gordura no corpo; 👉 Do ponto de vista nutricional, é uma bebida pobre: apresenta calorias vazias, sem qualquer benefício para a saúde; 👉Contribui para o aparecimento de celulites. Enfim, se você é um apaixonado por refrigerantes, vale a pena refletir e iniciar um processo de redução. Pode parecer impossível largar esse vício, mas com a consciência do que você está consumindo e reduzindo gradativamente a frequência do consumo, é possível sim! Uma dica: substitua o refrigerante por água com gás e sumo de limão. Beijos recheados de saúde!

Seu intestino precisa funcionar bem!

O intestino é um órgão fundamental para o bom funcionamento do organismo. Além de seu papel no sistema digestório e absorção de nutrientes, tem influência na imunidade, na produção de vitaminas, no sistema endócrino e no sistema neurológico. O intestino está, também, muito envolvido no controle da saciedade. Um importante e, cada dia mais comum, problema envolvido com a obesidade é a disbiose intestinal: um desequilíbrio da microbiota do intestino. Isto está diretamente relacionado aos maus hábitos alimentares, estresse e ao uso de substâncias, tais como antibióticos, anti-inflamatórios, agrotóxicos, metais pesados, que interferem no equilíbrio da microbiota intestinal. A prevalência desta leva a diversas doenças nos seres humanos: pesquisas relatam sua forte participação no desenvolvimento de doenças inflamatórias intestinais, doenças autoimunes, obesidade, síndrome metabólica e até mesmo doenças neurológicas. Diversos sintomas podem estar associados à disbiose, como: prisão de ventre, diarreia, barriga inchada, excesso de gases, dores abdominais, deficiência de nutrientes, irritabilidade, dor de cabeça, olheiras, obesidade, cansaço. Ao sinal de qualquer um desses sintomas, o recomendado é sempre procurar um médico ou nutricionista para o tratamento adequado. Portanto, o intestino é tão importante que, cuidar da saúde intestinal é buscar uma melhor qualidade de vida em todos os aspectos. Seguem algumas dicas que podem te ajudar a ter um intestino funcionando muito bem: 1 º- Aumente o consumo de alimentos prebióticos - alimentos com o amido resistente, como banana, maçã, batata doce, grão de bico, ervilhas frescas, sementes de linhaça. 2 º- Inclua na dieta alimentos probióticos: iogurte natural, kombuchá, kefir, picles. 3 º- Regule os horários da alimentação. 4 º- Aumente o consumo de alimentos orgânicos - que tal uma hortinha com ervas e temperos em casa? 5 º- Aumente o consumo de água, em média 2 litros por dia. 6 º- Evite o consumo de álcool e…

A beleza da pele está no prato

O ritual da beleza vai bem além dos hidratantes, cremes, maquiagens, tônicos e afins. Nutrientes parceiros da estética garantem uma pele protegida, com menos rugas e flacidez, e unhas e cabelos saudáveis. O betacaroteno, por exemplo, encontrado nos vegetais e frutas amarelos e alaranjados, se destaca quando o assunto é beleza da pele. Ele colabora com a produção de melanina (substância associada à coloração e bronzeamento da pele) e, sua grande virtude, é a capacidade de combater os efeitos nocivos dos radicais livres (moléculas que se formam diariamente em nosso corpo e que em excesso prejudicam a saúde). O licopeno, encontrado no tomate, goiaba vermelha, melancia e pitanga, é outro componente que blinda a pele. Ele contribuiu para uma maior resistência da pele à exposição solar. Seguindo todo esse colorido, os flavonoides, da amora, morango, jabuticaba, romã e uva, são, também, componentes benéficos que não podem ficar fora do cardápio. Para combater os efeitos da poluição, estresse, tabagismo, o selênio, encontrado na castanha do Pará, na truta e no camarão, é um mineral que age como um escudo contra manchas e flacidez. As frutas cítricas também não podem faltar no cardápio, pois nelas encontramos a vitamina C (presente na laranja, acerola, caju, cramberry) que é uma poderosa arma no combate aos radicais livres e tem papel fundamental no crescimento e reparação da pele e na formação de colágeno para manter o tônus e firmeza. Nesta lista de nutrientes que nutrem nossos tecidos, ainda temos a vitamina A, vitamina E, biotina, cálcio, ferro, zinco, ômega 3 e proteína. Todos nutrientes encontrados na natureza. Portanto, só evidências da importância de um cardápio colorido, variado e equilibrado para a beleza se refletir no espelho. Peça ajuda do nutricionista e cuide da sua beleza que nutre de dentro. Beijos recheados de saúde!