segunda-feira, 23 de setembro de 2019

CAR(rus)NAVAL(is) – e nada se acabar na quarta-feira

Porque são tantas coisas azuis E há tão grandes promessas de luz Tanto amor para amar de que a gente nem sabe

Quem me dera viver pra ver E brincar outros carnavais Com a beleza Dos velhos carnavais

Vinícius de Moraes

Duzentas e sessenta e seis luas

“Todos os seres vêm preparados para cumprir a sua tarefa, movidos pelo prazer profundo e pelo amor incondicional.”

Ernst Götsch

Tinha 12 anos. Não era tabu mas também não era outra coisa. Eu iria sangrar. Todos os meses durante muitos anos. Ia doer e ia doer todos os meses por muitos e

em-raiz, ar

imagem: Mariana Feitosa / LivreAmar (https://www.instagram.com/livreamar/)

que entre raiz e flor há um breve traço:

o silêncio do lenho, ― quieta liça

entre

im’bu, a ÁRVORE-QUE-DÁ-DE-BEBER.

É a arvore sagrada do sertão. Sócia fiel das rápidas horas felizes e longos dias amargos dos vaqueiros. Representa o mais frizante exemplo de adaptação da flora sertaneja. Foi, talvez, de talhe mais alentado e alto — e veiu descahindo, pouco a pouco, numa intercadencia de estios flammivomos e invernos torrenciaes, modificando-se

Uma conversa assustadora sobre histórias perigosas

O QUE DEU PARA DAR-SE A NATUREZA

Camões, Os Lusíadas, Canto IX

  Alana Esse mundo é muito engraçado. Tem robôs que falam, tem gente que vai até à Lua, tem cientistas em laboratórios a inventar coisas para as plantas crescerem e tem outros cientistas a inventar o que fazer para que as coisas que

Puta

"Também a moral é uma questão de tempo" Gabriel​ ​García​ ​Márquez

  Ontem comecei o meu primeiro diagrama lunar, junto com outras 16 mulheres. Uma ferramenta maravilhosa de auto-conhecimento sistêmico, por dentro e por fora, onde o corpo conversa com o todo, onde conseguimos colocar no papel isso de sermos cíclicas, regenerativas,