quarta-feira, 20 de março de 2019

Vamos avançar ou ficamos na mesma?

As primeiras articulações sobre as reformas, agora já na fase do Congresso, trazem alguma preocupação. Depois de um início de governo com direito a cirurgia, turbulências oriundas do caso Queiroz, em que, depois de tanto tempo, o assessor do então deputado Flávio Bolsonaro volta a aparecer com declarações ainda muito confusas, mas admitindo ilegalidades e afirmando que seus superiores nada

O jogo vai começar

Podemos afirmar que o governo Bolsonaro vai começar. Vencida a fase hospitalar, a parte mais importante para o sucesso do governo está entrando em campo. O ministro Sérgio Moro já encaminhou o seu pacote de medidas a serem avaliadas no Congresso. Já o ministro Paulo Guedes informa já estar pronta a proposta de reforma mais importante de sua pasta, a da Previdência, faltando apenas a decisão

Dias tenebrosos de contagem de corpos

Você moraria em Brumadinho, ou pior, trabalharia na linha de acesso da morte? Quem sabe em Mariana, ou perto do Morro do Bumba em Niterói? Talvez na região serrana do Rio, ou ainda caminharia como turista pelo Rio de Janeiro com a tranquilidade de alguém que não será assaltado ou vai se deparar com uma bala perdida, ou achada? Todas as tragédias que se multiplicam pelo país trazem como pano

O presidente Jair Bolsonaro acompanhado por seu filho, o senador Flávio Bolsonaro.

As trapalhadas e os danos políticos

A semana termina quente, com desdobramentos do caso envolvendo o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro e seu ex-assessor Fabrício Queiroz. A investigação em movimentações financeiras suspeitas, ocorrida em diversos gabinetes de deputados da ALERJ, levou a um relatório do Controle de Atividades Financeiras (COAF) onde foram identificadas várias movimentações atípicas, sendo

Antes dos novos tempos, o indulto!

Praticamente definido o novo ministério que iniciará o governo Bolsonaro. A pasta da Economia se destaca principalmente por sua diretriz completamente diversa do que nos acostumamos a observar nos últimos anos. Finalmente vamos experimentar uma direita liberal na economia e teremos, como seus integrantes, alguns economistas denominados como “Chicago Boys”. Essa escola de Chicago experimentou

Mais acertos do que erros, mas vai ser difícil!

Parece até aquele tempo longínquo em que o eleito primava pela “paz e amor”! Bolsonaro surpreende pela moderação e, mais ainda, pela transferência de poder para aqueles que, pelo seu julgamento, assim mereçam, casos típicos de Paulo Guedes e de Sérgio Moro! Está sendo reconhecido também pela humildade com que volta atrás em conceitos e ações avaliadas de forma açodada. Neste caso,