Edição 24

15/02/2018

ver edições anteriores

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Afogamento e fuga

Em 1995, nasceram 3,1 milhões de crianças no Brasil. Hoje, 30 mil delas continuam analfabetas. Cerca de 2,6 milhões concluíram o ensino fundamental e pouco mais de 2 milhões terminaram o ensino médio. E dessas pouco mais de 600 mil enfrentarão os desafios da sociedade do conhecimento. Pouco mais

Outra forma de escravidão

Em 2012, o jogador de futebol Raí falou em entrevista que, durante o tempo em que defendeu o Paris Saint Germain, na França, a filha dele frequentava a mesma escola de altíssima qualidade que a filha da empregada da família. Naquela ocasião, Raí perguntou por que essa não era a realidade aqui

Perdão

Perdão pelas balas perdidas, pelos adultos perversos, pelos colegas desorientados. Perdão pelos anos que não conseguimos lhes dar. Perdão também aos sobreviventes, pela falta de atendimento médico, de escola de qualidade, de esperança no futuro e carinho no presente. Perdão! Raphaella Noviski,

Lutero: ética, inteligência e coragem

Cada um de nós deveria, de vez em quando, identificar as pessoas que foram determinantes na nossa vida: pais, mestres, irmãos, namoradas, amigos, autores, artistas. Pessoas que mudaram o mundo ou mudaram a nossa própria maneira de ser e pensar. Raramente, quem mudou o rumo da história é determinante

Suissinato das universidades

O futuro de um país tem a cara de sua escola no presente. Cortar recursos para a universidade é como suspender transfusão de sangue para o país. O que acontece com a UERJ é um exemplo disso, portanto, o futuro do Brasil não parece bonito nem próspero. Ainda mais quando percebemos que a crise

Comemoração Incompleta

Daqui a cinco anos, o Brasil ingressará no terceiro centenário de sua história como país independente. Neste 7 de setembro, aos 195 anos de nossa independência, é possível comemorar o que nossos antepassados conseguiram. Atravessamos quase duzentos anos consolidando um imenso território soberano