Edição 29

15/05/2018

ver edições anteriores

terça-feira, 22 de maio de 2018

Conhecendo o Kremlin e o mausoléu do Lênin

A Copa do Mundo da Rússia está batendo aí na porta e se você se organizou para assistir ao mundial pessoalmente ou se pretende conhecer o país de Vladimir Putin algum dia, uma visita ao Kremlin é programa imperdível. A sede do Governo Russo, que fica bem de cara para a toda poderosa Praça Vermelha, às margens do Rio Moskva, é muito mais do que um prédio administrativo. É uma fortaleza que guarda a cidadela mais famosa do maior país do mundo. O nome Kremlin, para quem não sabe, quer dizer ‘fortaleza dentro de uma cidade’. Lá dentro, por trás da muralha com as torres, há quatro catedrais e cinco palácios. Até ovo Fabergé original é possível ver por lá, no Arsenal. [caption id="attachment_3714" align="aligncenter" width="1080"] Muralha do Kremlin vista de fora[/caption]   [caption id="attachment_3715" align="aligncenter" width="1080"] Dentro das muralhas há paisagens impressionantes[/caption] Há vários tipos de visitas, com preços variados, em rublos russos, que dão acesso a diferentes partes da cidadela. Fiz a visita mais basicona em dezembro de 2014 e achei tudo muito surpreendente. (Isso mesmo, fui pra Rússia no inverno e voltei vivinha para contar como foi). Destaque para as catedrais ortodoxas, cada uma mais incrível do que a outra. Minha favorita foi a Catedral da Dormição. As cúpulas douradas e o interior rebuscado da igreja que é dedicada à Maria, chamam a atenção. [caption id="attachment_3717" align="aligncenter" width="1080"] Catedral da Dormição: bonita por fora e por dentro[/caption] Pode parecer meio macabro, mas uma das coisas mais interessantes a se visitar no Kremlin é a necrópole, uma espécie de cemitério onde estão enterradas várias personalidades importantes da história do país, como Iuri Gagarin e Josef Stalin. Tudo isso fica do lado de fora da muralha, já na Praça Vermelha. Portanto, não é preciso pagar para conhecer a necrópole,…

Brasil, o país das incertezas

Continuamos com dificuldades na economia e, conforme alertamos há muito tempo, este governo se arrasta melancolicamente para seu final, incapacitado de produzir algo, seja por ainda enfrentar denúncias, seja por estar o Congresso voltado para as eleições que se aproximam. Não há muito mais o que fazer, mas crescem os problemas a serem enfrentados. Não podemos deixar de mencionar, entretanto, que o quadro caótico recebido dos governos passados melhorou substancialmente. Estancou-se o processo recessivo, embora ainda não vislumbremos uma aceleração no desenvolvimento econômico. A inflação foi dominada, os juros caíram, mas foi só na Selic. Nos empréstimos bancários pouco mudou! Há ainda uma desconfiança muito grande dos empresários para alavancar a produção e contratar mais. A crise fiscal não ajuda! São muitas as incertezas, e estas afugentam os investimentos externos. Em todos os processos de deterioração econômica, a última variável a demonstrar queda é o emprego. O governo Dilma nos deixou um quadro de cerca de 13 milhões de desempregados, que só não existia nos seus discursos de campanha, recheados de mentiras e promessas que sabia não poder cumprir. Basta lembrar, por exemplo, do projeto do Trem-bala entre Rio de Janeiro e São Paulo! Impopularidade é muito ruim, ninguém defende, e partidários da Dilma se aproveitam e colocam o nível atual de desemprego na conta do Temer. Mais uma mentira ou desconhecimento dos fatos? Talvez o único acerto de Temer tenha sido a montagem de sua equipe econômica. Não interessa se foi ele diretamente que o fez. Ele nomeou as pessoas e deu suporte, embora, às vezes, tenha atrapalhado até um pouco, mas nada que interrompesse o processo de restauração dos melhores fundamentos econômicos, destruídos por uma ilusão, ou sei lá o quê, denominada Nova Matriz Econômica. Lembram? O quadro melhorou, mas há muito por fazer! Temer pode ter tido…

O que, na verdade, te faz comer?

Tenho me dedicado muito a me aprofundar no estudo do comportamento humano. Nas estratégias com as quais, através do meu conhecimento em Nutrição, consigo ajudar pessoas a emagrecerem. Vejo inúmeros benefícios quando consigo ajudar pessoas a pensar diferente e a fazer mudanças no comportamento para emagrecerem e manterem o peso. Pessoa querem emagrecer e não conseguem, mas não se atentam aos seus pensamentos: "Só um pedacinho!", "Hoje eu posso!", "Vou comer um doce para me acalmar!", "Hoje estou muito cansada para cozinhar, vou comer um fast food", "Vou correr mais 15 minutos hoje na esteira para poder comer rodízio de pizza à noite", “Ah, não posso recusar este bolo, não é educado”. Chamamos esses de PENSAMENTOS SABOTADORES! O sucesso no emagrecimento e na manutenção do peso perdido é maior quando ocorre a mudança no comportamento alimentar. Essa é mais causadora do resultado do que aprender a contar calorias. As pessoas comem e não percebem quantas calorias a mais podem consumir por dia, não acreditam que os pequenos e frequentes ataques aos beliscos farão diferença no emagrecimento. Se você se percebe com esses pensamentos sabotadores e está lutando por uma alimentação mais equilibrada, tente se controlar, seja mais racional antes de consumir algum alimento. Pergunte-se: estou mesmo com fome? Será que não posso aguardar para comer no horário certo? Posso me controlar bebendo um copo de água? Evitar esse belisco te tornará mais forte, mais motivado e trará melhores resultados. A maneira de pensar, tratando a fome como emergência, torna a dieta mais difícil. Dedique-se para modificar seu pensamento e buscar um corpo definitivamente magro. Beijos e saúde.

Assassinos de Marielle

Diz uma lenda árabe que uma coruja invisível sai de dentro de pessoas assassinadas para perseguir os assassinos. O Brasil deseja que essas aves identifiquem quem matou Marielle e Anderson. Mas precisamos também buscar assassinos históricos invisíveis, que não apertaram o gatilho, mas criaram condições para o crime. Há séculos, latifundiários e governantes deram passos na direção do assassinato de Marielle. Ao negarem a reforma agrária para ex-escravos e escolas para seus filhos, conduziram milhões de excluídos ao desemprego, ao desespero, à violência, criando um país ineficiente e injusto. Marielle foi morta por bandidos, mas os assassinos não cabem em um carro: são governantes que ao longo de décadas se negaram a fazer as reformas de que o Brasil precisa. Em vez disso, corromperam prioridades, negaram escola de qualidade e assistência à saúde. Marielle e Anderson foram mortos por sete tiros de pistola e cinco séculos de injustiças e ineficiências. Esperamos que as investigações descubram quem atirou, que a justiça julgue e os condenados sejam punidos. Mas isso não basta. Será preciso que cada brasileiro assuma a luta de Marielle contra os assassinos históricos, transformando o Brasil em nação com economia eficiente e democracia estável, com oportunidades iguais para todos, sem preconceito, respeitando a diversidade de religião, raça, orientação sexual. Que a polícia e os juízes cuidem dos assassinos e que os cidadãos e eleitores cuidem dos culpados históricos. Que os assassinos sejam presos e que o Brasil seja reformado.