Edição 30

01/06/2018

ver edições anteriores

domingo, 19 de agosto de 2018
Edições Anteriores

O que é imperdível em São Petersburgo?

Eu diria que tudo! A cidade é imperdível ao quadrado. Fecho a série de artigos sobre a Rússia, este belo país sede da Copa do Mundo de 2018, falando da minha cidade favorita por lá: São Peter. Juro que mudo de país nos próximos textos! Combinado? Como considero a cidade toda linda e maravilhosa, vou priorizar o que acho o filé mignon. São Peter é enorme, uma das maiores cidades da Europa e uma das mais ‘europeias’ da Rússia. Porém, as principais atrações ficam bem concentradas geograficamente na região da Nevsky Prospekt. Quem se hospedar nessa que é a principal rua da cidade ou nas proximidades do museu Hermitage estará super bem localizado e poderá visitar praticamente todas as principais atrações a pé, se tiver com disposição e resistência ao frio. (hehe) Estive lá em dezembro de 2014, num frio punk, com direito a neve e tudo, mas consegui fazer tudo andando. Hospedei-me próximo à catedral de Saint Isaac, bastante central, num hostel bem simpático, que eu indico: o Soul Kitchen. Vou falar aqui de algumas das atrações principais, mas há outras interessantes e igualmente imperdíveis. Museu Hermitage Para mim o museu mais bonito que já visitei na vida, não só pelas obras, mas pelos prédios em si. Para se ter uma ideia, um dos prédios que integram o museu, o Palácio de Inverno, era residência de antigos Czares e só ele já vale a visita. Um dia inteiro é bem pouco para ver tudo. Para quem tem disposição para museus, eles disponibilizam um ingresso que dá direito a 2 dias de visita (que também não são suficientes para conhecer tudo). É possível comprar entradas antecipadamente no site do museu. [caption id="attachment_3826" align="alignnone" width="1280"] Palácio de Inverno, que integra o complexo do museu.[/caption]   Catedral do Sangue Derramado Não tem…

O nascimento da Peregrinação ao Quilombo dos Palmares

A Peregrinação da Serra da Barriga Em 6 de fevereiro de 2017, acompanhei a terceira peregrinação na Serra da Barriga, localizada no município União dos Palmares, nas Alagoas, juntamente com 150 pessoas, dentre elas pesquisadores, professores, estudantes e formadores de opinião, religiosos de matrizes africanas e cristãos, capoeiristas, turistas e público em geral, tanto local como de outros municípios e mesmo de outros países. Este cortejo de celebração coletiva que constitui a peregrinação a Palmares articula uma grande movimentação de pessoas que, ao se realizar, percorre um caminho rustico, por dentro de um conjunto de matas atlânticas, próximo ao litoral, na conformação da Serra da Borborema. O caminhante ou peregrino encontrará um ambiente circundante que compreende paisagem natural e edificada, repleta de palmeiras que, de acordo com os relatos dos historiadores, é responsável pelo nome Palmares. E, ao atravessar aquela vereda histórica, marco de um saber lá instalado de modo imaterial, algo que é considerado sagrado e percebido pelas teias da sensibilidade daqueles que organizam, participam e se engajam naquela tarefa do caminhar. A peregrinação é organizada “Em HONRA E REVERÊNCIA AOS ANTEPASSADOS – Vigília ao Extermínio do Quilombo de Palmares, em 1695”, na localidade daquele tradicional Quilombo e foi convocada pela ONG Baobá Raízes e Tradições, liderada pela Yalorixá Neide Oyá D’Oxum. Se, por um lado, identificamos neste projeto um objetivo de divulgação do patrimônio histórico cultural da Serra da Barriga e a promoção de sua inserção no roteiro turístico alagoano, por outro lado devemos considerar que este movimento incorpora também as marcas dos inumeráveis movimentos peregrinos e, em tese, aproxima-se das características e atividades mentais e corporais daquilo que conota a qualidade das peregrinações. No entanto, esta peregrinação ao Parque da Serra da Barriga tem uma singularidade, pois ela consegue ir além das tradicionais peregrinações. A começar pela…

A pedra, a eleição e a justiça

Divulgados pelo Banco Central (IBC-Br) os números da economia de abril. Expansão de 0,46%, a primeira do ano! Mas no meio do caminho tem uma pedra, tem uma pedra no meio do caminho! Onze dias de greve dos caminhoneiros, gerando impactos desastrosos na economia, especialmente devido às interrupções logísticas e de abastecimento. O governo, que já não governa faz tempo, tratou do assunto com atraso e, enfraquecido por força de suas próprias mazelas, cedeu a tudo, até ao impossível, como é essa coisa estapafúrdia de se criar uma tabela de preços para o frete. A Fazenda diz que a tabela é anticoncorrencial, há quem insista na sua inconstitucionalidade. E no meio de toda essa confusão, o STF acaba por chamar para si a solução de um problema que, em tese, não deveria existir, até por ser inexequível. Isso é coisa para ser tratada pelo STF? Sobre a greve dos caminhoneiros, a maioria da população aprovou o movimento. Como pode? Apoiar algo que causou tantos prejuízos à sociedade? Rapidamente se percebeu que a população achava a greve justa, mas a culpa era do governo, dos políticos e dos corruptos. Mas, de tudo, restou uma conta para pagar, afinal inexiste subsídio grátis e se não aceitam mais impostos, como pagar? Ouvimos de tudo, reforma política, término das mordomias nos três poderes, fora Temer e cobrança dos desvios da corrupção. Como se isso tudo fosse algo que pudesse ser viabilizado no decurso de uma greve que, mesmo justa, prejudicou fortemente as pessoas, especialmente as mais pobres, doentes e que não puderam trabalhar para ganhar o sustento de suas famílias. Trocando em miúdos, os caminhoneiros reivindicaram subsídios, dinheiro público e preços tabelados, direcionando, portanto, a conta para outra parcela da sociedade. O povo precisa perceber que a melhor forma de se resolver a política…

E essa tal de meditação, o que é?

Talvez você já tenha tido curiosidade de entender melhor o que vem a ser essa tal de “meditação”? Ou faça parte do grupo de pessoas que suspeita que meditar é coisa religiosa. Ou ainda do grupo que acha meditar uma grande perda de tempo. De toda forma, seja lá qual for sua opinião sobre meditação, estou aqui hoje para te ajudar! Isso mesmo! Vou compartilhar contigo algumas informações para que você tire suas próprias conclusões sobre este tema, de forma mais apropriada. A palavra meditação, como praticamente todas as palavras do nosso dicionário, possui fatos e significados atribuídos a ela. Hoje vamos ficar com os fatos justamente para sair da subjetividade e entender o que as pesquisas científicas já descobriram em relação a esta prática milenar que é meditar. Fico especialmente feliz em poder ajudar algumas pessoas a entenderem melhor o que vem a ser meditação, pois esta prática me salvou em um momento muito desafiante da minha vida, uma crise de pânico, mas isso é tema para outro artigo! A palavra meditação vem do latim, meditare, que significa voltar-se para o centro no sentido de desligar-se do mundo exterior e voltar a atenção para dentro de si. Pode ser definida como uma prática onde o indivíduo utiliza técnicas para focar sua mente num objeto, pensamento ou atividade em particular, visando alcançar um estado de clareza mental e emocional.* Logo de cara, com base no parágrafo acima podemos aprender algumas coisas como: Meditação tem a ver com concentração, foco e atenção. Pode ter como objeto de atenção uma coisa, um pensamento, a respiração, uma paisagem, ou seja, um foco definido a escolha do praticante. Existem várias técnicas disponíveis que ajudam as pessoas a atingirem este estado meditativo. E é aí que mora a confusão. Vamos falar sobre isso. A meditação…

MIMO Festival Amarante anuncia programação em Portugal

Por Rita Fernandes* De 20 a 22 de julho, a cidade de Amarante será palco da terceira edição internacional do MIMO Festival. O evento multicultural, que nasceu no Brasil há 15 anos, anunciou recentemente sua programação em Portugal. Serão 53 atividades gratuitas, entre música, cinema, programa educativo e infantil, fórum de ideias, roteiro cultural, chuva de poesia e uma exposição inédita de Amadeo de Souza-Cardoso. Durante três dias, Amarante vai receber artistas de 16 nacionalidades. Será uma oportunidade única para conhecer nomes relevantes que se apresentam pela primeira vez em Portugal, como é o caso de Matthew Whitaker Trio (EUA), do supergrupo Hudson com Jack DeJohnette, John Scofield, John Medeski e Scott Colley (EUA), GoGo Penguin (Inglaterra), Shai Maestro Trio (Israel), além de três artistas brasileiros: Baiana System, Almério e Moacyr Luz. Mas também para rever grandes artistas e grupos como Goran Bregovic Wedding and Funeral Band (Sérvia), Otto (Brasil), Orquestra Chinesa Cheong Hong de Macau (China), Timbila Muzimba (Moçambique), Pablo Lapidusas International Trio (Argentina/Brasil/Cuba), Dona Onete (Brasil), Noura Mint Seymali (Mauritânia), Rui Veloso, Dead Combo, Bruno Pernadas e Marta Pereira da Costa (Portugal). Desde a sua primeira edição em Olinda, há 15 anos, o MIMO Festival tem como proposta apresentar novos artistas, além de homenagear nomes consagrados. Essa união possibilita a integração do público com representantes de diferentes culturas e gêneros musicais, num festival que tem como principal marca a diversidade artística. No Brasil, o MIMO Festival 2018, que é apresentado pelo Ministério da Cultura e pelo Bradesco, vai acontecer em quatro cidades: Paraty, de 28 a 30 de setembro, Rio de Janeiro, de 15 a 17 de novembro, São Paulo, 19 e 20 de novembro, e Olinda, de 23 a 25 de novembro. A programação dos eventos será divulgada a partir de agosto. [caption id="attachment_3807" align="aligncenter" width="1000"] Baiana System. Foto:…