quinta-feira, 21 de setembro de 2017

A turbulência política e a blindagem econômica

Já estamos tão acostumados, que as novas denúncias de corrupção já não provocam impacto, passaram a fazer parte do cotidiano. Mas a turbulência persiste e o ambiente político permanece em polvorosa. O governo enfraquecido por nova denúncia da PGR prepara-se para contornar mais uma pressão dos fatos, agora abrangendo nove denunciados, sendo que alguns deles já estão presos e nos demais

Não se pode esperar muito do governo Temer

O governo Temer herdou uma das piores crises de nossa história moderna. Uma crise política, decorrente do afastamento da titular da presidência através de um processo de impeachment, e também econômica, com um rombo fiscal monstruoso, inflação muito acima do teto da meta, desemprego elevado, recessão persistente e desconfiança generalizada. Não apenas por ter participado do governo que

Quem acredita?

Se fizermos uma reflexão sobre a trajetória de nosso país, tipo “deitado no divã e liberando as emoções”, vamos verificar que, essencialmente, pouco se evoluiu desde as Capitanias Hereditárias. Na política, observamos muito bem os feudos e seus herdeiros: os Barbalhos, Calheiros, Maias, Neves, Sarneys, Gomes, Magalhães e outros. Ainda nesta área, verificamos determinados movimentos que

O desequilíbrio fiscal permanece

A presidente Dilma afirmava que “gasto é vida”, e como gastava! Já o presidente Temer sempre afirmou que não se preocupava com a sua rejeição, hoje em torno de 94%, mas faria o que fosse necessário para resolver o rombo fiscal deixado por sua antecessora, bem como para colocar o país no rumo e retomar o crescimento, com a consequente volta dos empregos perdidos. Mas começou mal, confirmando

A crise e a economia

Estamos vivendo dias agitados. Temer consegue vitória na Câmara, com a rejeição na CCJ à admissibilidade de ser investigado, Lula é condenado em primeira instância e a reforma trabalhista é aprovada no Senado, com direito a reação histérica de senadoras que, supostamente em defesa da manutenção do imposto sindical, tomaram à força a mesa do Senado. Temer conseguiu pequena vitória,

Mais do mesmo

Quis o destino que Temer repetisse Dilma e, de certa forma, o Collor também! Se por um lado agarra-se ao cargo desesperadamente como sua antecessora, por outro ataca contundentemente outros poderes da república, como se vítima fosse, no melhor estilo do Caçador de Marajás! Parece estar caminhando para a mesma situação que levou à interrupção dos respectivos mandatos presidenciais. A face