Edição 19

15/11/2017

ver edições anteriores

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Perdão

Perdão pelas balas perdidas, pelos adultos perversos, pelos colegas desorientados. Perdão pelos anos que não conseguimos lhes dar. Perdão também aos sobreviventes, pela falta de atendimento médico, de escola de qualidade, de esperança no futuro e carinho no presente. Perdão! Raphaella Noviski, 16 anos - Felipe Faria Gomes, 16 anos - Géssica Guedes Pereira, 16 anos - Milena dos Santos Nascimento,

Lutero: ética, inteligência e coragem

Cada um de nós deveria, de vez em quando, identificar as pessoas que foram determinantes na nossa vida: pais, mestres, irmãos, namoradas, amigos, autores, artistas. Pessoas que mudaram o mundo ou mudaram a nossa própria maneira de ser e pensar. Raramente, quem mudou o rumo da história é determinante também no dia-a-dia da vida de cada um de nós. Mas alguns conseguem isso. Martinho Lutero é

Suissinato das universidades

O futuro de um país tem a cara de sua escola no presente. Cortar recursos para a universidade é como suspender transfusão de sangue para o país. O que acontece com a UERJ é um exemplo disso, portanto, o futuro do Brasil não parece bonito nem próspero. Ainda mais quando percebemos que a crise é de todo o conjunto de nosso ensino superior. Embora a falta de verbas seja a causa mais visível,

Comemoração Incompleta

Daqui a cinco anos, o Brasil ingressará no terceiro centenário de sua história como país independente. Neste 7 de setembro, aos 195 anos de nossa independência, é possível comemorar o que nossos antepassados conseguiram. Atravessamos quase duzentos anos consolidando um imenso território soberano e unificado por redes de transporte, de comunicações, de distribuição de energia, a economia

Arthur, nosso Aylan

Estas crianças não têm em comum bolas, boneca, balões de aniversário ou bancos de escola. Estão ligadas por balas, que bem podiam ser de doce, mas são de armas. Cada uma delas foi assinada, entre 2009 e 2017, entre 1 e 16 anos; e uma delas foi atingida antes mesmo de haver nascido. A lista não inclui aquelas que foram mortas pela maldade individual, por pais ou responsáveis e pedófilos.

A Ocupação Necessária

O Rio e o Brasil estão comemorando mais uma vez a entrada de nossos soldados na luta contra a violência que tomou conta desta bela cidade. Diante da guerra civil em andamento, não há como ficar contra a decisão do governo federal, mas é preciso estar alerta aos seus riscos e limitações. Com as Forças Armadas (FFAA) nas ruas, a população carioca pode ter um fôlego de paz, mas sob o risco