quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Comemoração Incompleta

Daqui a cinco anos, o Brasil ingressará no terceiro centenário de sua história como país independente. Neste 7 de setembro, aos 195 anos de nossa independência, é possível comemorar o que nossos antepassados conseguiram. Atravessamos quase duzentos anos consolidando um imenso território soberano e unificado por redes de transporte, de comunicações, de distribuição de energia, a economia

Arthur, nosso Aylan

Estas crianças não têm em comum bolas, boneca, balões de aniversário ou bancos de escola. Estão ligadas por balas, que bem podiam ser de doce, mas são de armas. Cada uma delas foi assinada, entre 2009 e 2017, entre 1 e 16 anos; e uma delas foi atingida antes mesmo de haver nascido. A lista não inclui aquelas que foram mortas pela maldade individual, por pais ou responsáveis e pedófilos.

A Ocupação Necessária

O Rio e o Brasil estão comemorando mais uma vez a entrada de nossos soldados na luta contra a violência que tomou conta desta bela cidade. Diante da guerra civil em andamento, não há como ficar contra a decisão do governo federal, mas é preciso estar alerta aos seus riscos e limitações. Com as Forças Armadas (FFAA) nas ruas, a população carioca pode ter um fôlego de paz, mas sob o risco

Consciência ecológica e desenvolvimento

Recentemente foi celebrado o Dia de Proteção às Florestas, comemorado anualmente em 17 de julho. O Brasil é conhecido no mundo como o país das florestas. Temos em nosso território brasileiro quase toda a Amazônia, maior floresta tropical do mundo, com a maior reserva genética, além de guardar um quinto da água potável disponível na terra. Calcula-se que sua biodiversidade representa um

Onde Erramos

O jornalista Paulo Guedes escreveu, em 19/06/17: “os partidos social-democratas que nos dirigem há mais de três décadas devem explicar nossa degeneração política e o medíocre desempenho econômico”. Eu acrescento: “a persistência da pobreza e da desigualdade, a desagregação social, a violência generalizada, o desencanto dos jovens com a política e a tolerância com a corrupção”.

Desigualdades

A Lei Áurea completou 129 anos no último dia 13 de maio. A partir desta data, a escravidão passou a ser uma aberração moral. No século XXI, a negação da educação não é só uma aberração moral como também uma estupidez técnica por impedir o aproveitamento do mais importante vetor econômico: o conhecimento de cada cidadão livre e educado. Ainda nos dias atuais – por incrível que