Edição 24

15/02/2018

ver edições anteriores

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Persistindo no erro

Nada surpreenderá mais os analistas futuros de história deste momento do que o fato de não ter sido feita até aqui nenhuma autocrítica por algum dos dirigentes do governo Lula e Dilma. Para o Brasil, mais importante do que aumentar a pena do ex-presidente Lula teria sido ele reconhecer os erros cometidos. Ampliar o tempo de prisão em nada vai mudar o Brasil. Mas ajudaria muito termos uma análise

Narrativas falsas

O mundo descobriu recentemente o poder e o risco das “fake news”. Mas no Brasil há décadas somos vítimas de narrativas falsas que corrompem nossa maneira de pensar. Para defender seus gastos, o governo corrompe a aritmética e cria a falsa narrativa da moeda com a inflação. O resultado foi o crescimento da riqueza nas mãos dos poucos ricos e a persistência da pobreza na vida de uma multidão.

Afogamento e fuga

Em 1995, nasceram 3,1 milhões de crianças no Brasil. Hoje, 30 mil delas continuam analfabetas. Cerca de 2,6 milhões concluíram o ensino fundamental e pouco mais de 2 milhões terminaram o ensino médio. E dessas pouco mais de 600 mil enfrentarão os desafios da sociedade do conhecimento. Pouco mais de 720 mil (49%) estão no ensino superior e, considerando a taxa de abandono, não chegará a 355

Outra forma de escravidão

Em 2012, o jogador de futebol Raí falou em entrevista que, durante o tempo em que defendeu o Paris Saint Germain, na França, a filha dele frequentava a mesma escola de altíssima qualidade que a filha da empregada da família. Naquela ocasião, Raí perguntou por que essa não era a realidade aqui do Brasil. O futuro de cada país decorre da formação de seus cidadãos, da capacidade de usar o

Perdão

Perdão pelas balas perdidas, pelos adultos perversos, pelos colegas desorientados. Perdão pelos anos que não conseguimos lhes dar. Perdão também aos sobreviventes, pela falta de atendimento médico, de escola de qualidade, de esperança no futuro e carinho no presente. Perdão! Raphaella Noviski, 16 anos - Felipe Faria Gomes, 16 anos - Géssica Guedes Pereira, 16 anos - Milena dos Santos Nascimento,

Lutero: ética, inteligência e coragem

Cada um de nós deveria, de vez em quando, identificar as pessoas que foram determinantes na nossa vida: pais, mestres, irmãos, namoradas, amigos, autores, artistas. Pessoas que mudaram o mundo ou mudaram a nossa própria maneira de ser e pensar. Raramente, quem mudou o rumo da história é determinante também no dia-a-dia da vida de cada um de nós. Mas alguns conseguem isso. Martinho Lutero é