Edição 24

15/02/2018

ver edições anteriores

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Febre amarela, malária, dengue? Inhame inhame!

Por Sônia Hirsch*   A saúde é simples, as doenças é que são complicadas. Por séculos e séculos as populações tropicais sobreviveram comendo apenas o que dava no local onde tinham suas aldeias. Nas regiões úmidas, ladeando as grotas onde grassavam mosquitos, sempre houve fartura de inhame – na Ásia, na África, na América do Sul. Fácil de colher, fácil de preparar e ainda por

As linhas da vida

Por Carolina Guimarães* Começo de ano é sempre momento de reflexão, fechamento de um ciclo para início de outro. Momento de sonhar e também de planejar para que as resoluções não terminem em frustrações. Hora de pensar nos caminhos a se traçar e quais linhas nos levarão aos nossos destinos. Minha linha por 5 anos teve local e nome: Linha 580. Ela foi a linha que resultou mais viável

O Trump do Século

Por Fábio Caiado* Atrevo-me aqui a escrever sobre um personagem bastante controverso: Donald Trump. Desde sua candidatura à presidência do EUA até hoje, é um dos nomes mais lidos nos noticiários do mundo. Amplamente criticado pela imprensa, Trump está finalmente dizendo ao que veio com a recente aprovação da sua Reforma Tributária. Vamos ao histórico, às ideias e aos fatos. O histórico

Vida quer viver: crônicas de bem-estar (com receitas e dicas)

Por Sonia Hirsch*   Pé de milho nasce dentro do bueiro, no alto do viaduto. Arbustos crescem em postes e telhados, se deixar viram árvores. Ervas medicinais e flores invadem frestas em calçadas, muros, ruas. Passarinhos viajam meio mundo para se reproduzir, depois voltam para casa, como as tartarugas. Bactérias se tornam resistentes aos antibióticos. Fungos muito vivos surgem da matéria

Movimenta, Pernambuco!

Por Rita Fernandes Uma nova força sonora ecoa em Pernambuco. São sons que vêm da terra, das influências do Agreste, da Zona da Mata, das cantorias do dia a dia, carregados ao mesmo tempo de contemporaneidades temáticas e harmônicas. Se na década de 1990 o movimento da geração de Fred Zero Quatro e de Chico Science definiu uma nova cena musical com o manguebeat, hoje os jovens artistas